Preço da habitação cresce 17,2% no primeiro trimestre

Vila Nova de Gaia, Gondomar e Porto apresentaram também com aumento das taxas

14 de julho de 2022
Preço da habitação cresce 17,2% no primeiro trimestre
Em Lisboa a aceleração dos preços da habitação foi menos expressiva que no país, tal como no trimestre anterior, mas tomando como referência as vendas efetuadas nos 12 meses anteriores, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi o mais elevado na capital (3.642 euros/m2).
O preço do metro quadrado da habitação em Portugal foi, no primeiro trimestre de 2022, de 1.454 euros, um aumento homólogo de 17,2% (e de 7,3% face ao trimestre anterior). Só houve diminuições em três sub-regiões NUTS III: Alto Alentejo (-5,1%), Lezíria do Tejo (-0,6%) e a Beira Baixa (-0,5%), segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE).

“As duas sub-regiões com preços medianos da habitação mais elevados – Algarve (2.237 euros/m2) e Área Metropolitana de Lisboa (1.986 euros/m2) – foram também aquelas que apresentaram valores mais elevados em ambas as categorias de domicílio fiscal do comprador: território nacional (respetivamente, 2.115 euros/m2 e 1.969 euros/m2) e estrangeiro (2.588 euros/m2 e 3.533 euros/m2)”, informa a nota.

Em relação ao trimestre anterior, a taxa de variação homóloga dos preços aumentou em nove dos 11 municípios com mais de 100 mil habitantes da Área Metropolitana de Lisboa. Assim, foi superior à verificada a nível nacional (+3,1%) em Sintra (+7,9%), Setúbal (+6,5%) e Almada (+3,3%). Em Lisboa (+2,3%), tal como no trimestre anterior, e Cascais (+2,0%) a aceleração foi menos expressiva. Em Loures (-2,0%) e Oeiras (-1,7%) registou-se uma desaceleração dos preços.

Na Área Metropolitana do Porto, os municípios de Santa Maria de Feira (+13,8%), Vila Nova de Gaia (+6,8%), Gondomar (+5,3%) e, Porto (+3,7%) apresentaram também um aumento das taxas de variação homólogas superiores ao país. Nos outros dois municípios com mais de 100 mil habitantes, houve uma desaceleração, com  Matosinhos a recuar 9,8% e Maia 2,4%.

Nos primeiros três meses do ano, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal adquiridos pelas famílias foi de 1.471 euros/m2 e pelos compradores pertencentes aos restantes setores institucionais de 1 293 euros/m2 (ambos os valores foram superiores aos verificados no trimestre anterior: 1.388 euros/m2 e 1.097 euros/m2, respetivamente).

Tomando como referência as vendas efetuadas durante os 12 meses entre abril de 2021 e março de 2022, o preço mediano de alojamentos familiares em Portugal foi 1.346 euros/m2, aumentando 3,8% relativamente ao ano acabado no trimestre anterior e 12,4% relativamente ao ano acabado no trimestre homólogo.

O preço mediano da habitação manteve-se acima do valor nacional nas sub-regiões do Algarve (2.095 euros/m2), Área Metropolitana de Lisboa (1 885 euros/m2), Região Autónoma da Madeira (1.481 euros/m2) e Área Metropolitana do Porto (1.429 euros/m2).

No período em análise, 46 municípios apresentaram um preço mediano superior ao valor nacional, localizados maioritariamente nas sub-regiões Algarve (14 em 16 municípios) e Área Metropolitana de Lisboa (16 em 18). O município de Lisboa (3.642 euros/m2) registou o preço mais elevado do país.

Fonte: jornaleconomico.pt

Adicionar comentário