Biomassa aumenta a instalação de equipamentos na Europa

Em 2019, foram vendidos mais de 750.000 equipamentos e a expectativa é que continue a aumentar

28 de abril de 2021
Biomassa
A biomassa é a principal fonte de energia renovável para aquecimento na União Europeia, com cerca de 85% de contribuição, avança a  Associação Espanhola de Biomassa (AVEBIOM). Além de grandes instalações centralizadas, capazes de fornecer energia térmica através de redes de distribuição a cidades inteiras, como Estocolmo ou Copenhaga, existe um grande mercado para aquecimento doméstico para residências particulares.
Fogões a pellets e caldeiras são os equipamentos de aquecimento a biomassa mais usados ​​na UE-28

Os fogões a pellets representam 80% dos equipamentos de biomassa para aquecimento doméstico com potência inferior a 50 kW, enquanto os restantes 20% são caldeiras que fornecem calor através de sistema de radiador ou piso radiante.

De acordo com o último relatório da Bioenergy Europe, em 2019, a UE-28 tinha 7 milhões de instalações domésticas de aquecimento de biomassa sólida, das quais 5,6 milhões eram fogões a pellets e 1,4 milhões eram caldeiras a pellets.

Os utilizadores de aquecimento a biomassa emFrança, Itália e Espanha preferem fogões a pellets, com 93% das instalações deste tipo em casas unifamiliares, em comparação com 7% para caldeiras a pellets.

Porém, em países como Alemanha ou Áustria, a tendência é oposta e a instalação de caldeiras a pellets prevalece sobre a de fogões.


Caldeiras a pellets atravessam um bom momento

Em 2019, a instalação de novas caldeiras a pellets com menos de 50 kW de potência para uso doméstico na UE-28 cresceu cerca de 10% face ao ano anterior, ultrapassando 132.000 unidades vendidas.

O mercado atravessa um bom momento, impulsionado pelas políticas ambientais da UE de descarbonização do setor do aquecimento doméstico e pelo apoio às economias.

A Alemanha lidera a UE com mais de 287.000 caldeiras de biomassa em marcha, seguida pela Itália, Bulgária e Áustria com mais de 140.000 caldeiras cada. Alemanha, Bulgária, França e Itália estão a alcançar vendas superiores a 15.000 unidades a cada ano.

Na Espanha, as estatísticas da Bioenergy Europe atribuem um parque de mais de 20.000 caldeiras a pellet para uso doméstico em 2019, ano em que foram vendidas 2.500 unidades.


Mais fogões a pellets nos países mediterrâneos

No que diz respeito à instalação de fogões a pellets, as últimas estatísticas disponíveis indicam que em 2019 operavam na UE 5,6 milhões de equipamentos. Nesse ano, as vendas ultrapassaram os 621.000 unidades, com uma evolução positiva notável nos países mediterrânicos.

Na primeira posição, a Itália com pouco mais de dois milhões de fogões em funcionamento e liderando o ranking de vendas com 170.000 mil unidades; seguida pela França, que no final de 2019 tinha mais de um milhão de fogões a pellets em operação e vendas de mais de 157.000 fogões.

De acordo com o relatório Bioenergy Europe, 320.000 fogões a pellets foram instalados em Espanha e 2019 unidades foram vendidas em 55.143, uma para cada 851 espanhóis.

Adicionar comentário