Governo aprova salário mínimo de 705 euros

O anúncio foi feito pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva

2 de dezembro de 2021
Governo aprova salário mínimo de 705 euros
A ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que este é mais um passo para atingir a meta dos 750 euros em 2023. O salário mínimo nacional sobe, assim, de 665 para 705 euros. O aumento acontece após várias reuniões da Concertação Social.
O Governo aprovou esta quinta-feira um decreto-lei que prevê o aumento do salário mínimo na administração pública em 0,9%. O anúncio foi feita esta quinta-feira pela ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, que explicou que este é mais um passo para atingir a meta dos 750 euros em 2023.

Foram ainda aprovadas medidas de reforço de proteção social e desemprego, medidas que vão ser detalhadas pela ministra da Segurança Social.

“Esta atualização abrange todos os trabalhadores da administração pública, correspondendo 110 mil trabalhadores à base remuneratória, num custo de 80 milhões de euros. E ainda 612 mil trabalhadores que tem um aumento, o que corresponde a uma despesa de 225 milhões de euros”, explicou Alexandra Leitão, ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, em Conselho de Ministros.

Por sua vez, Ana Mendes Godinho Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social explica que o aumento do salário mínimo para 2022 é o cumprimento do compromisso do Governo, desde 2015, de valorizar o salário dos portugueses. A responsável reforça que o objetivo é chegar a 2023 com 750 euros.

A governante acrescenta que o aumento de 40 euros é o maior aumento de sempre do salário mínimo, argumentando que desde 2015, o Governo já aumento o salário em mais de 200 euros. “A perspectiva que temos é que este aumento abranja 880 mil trabalhadores”, adiantou a governante.

Tal como referido pelo ministro da Economia, o Governo compromete-se ainda a apoiar as empresas com um valor pago “de uma única vez” de 112 euros por cada trabalhador em cada entidade com o salário mínimo, ao mesmo tempo que apoiará também os trabalhadores em situação de desemprego. Este subsídio passa a ser de 1,15 IAS (Indexante dos Apoios Sociais) em vez de 1 (IAS).  “É um apoio adicional para os pais que estão no desemprego”, referiu o Governo.

O Governo aprovou ainda a portaria que procede à atualização das pensões. De acordo com Ana Mendes Godinho, as pensões até 886 euros subirão 1% a partir de janeiro de 2022. Já as pensões entre 886 euros e 2.659 euros aumentarão 0,49% e as pensões acima de 2.659 euros crescerão 0,24%.

Fonte: jornaleconomico.sapo.pt

Adicionar comentário