Preços na produção industrial aumentaram mais de 24%

Segundo o INE, deveu-se à evolução dos preços da Energia e dos Bens Intermédios

18 de maio de 2022
Preços na produção industrial aumentaram mais de 24%
O Instituto Nacional de Estatística (INE) divulgou estatísticas, esta quarta-feira, relativamente aos preços na produção industrial que aumentaram 24,6% em abril de 2022.
O INE indica que “o Índice de Preços na Produção Industrial (IPPI) apresentou, em abril, uma taxa de variação homóloga de 24,6%” quando era de 26,5% em março, isso significa que perdeu 1,9 pontos percentuais (p.p.).

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o resultado deveu-se à “evolução dos preços da Energia e dos Bens Intermédios, sem os quais o índice cresceu 9,4% (7,9% no mês precedente). A variação mensal do índice agregado foi nula (1,5% em abril de 2021)”.

O agrupamento de Energia passou de uma taxa de variação homóloga de 82,3% em março para 61,5% em abril, com a eletricidade a passar de 103,9% em março para 47,8%. Se excluirmos este agrupamento a variação dos preços na produção industrial foi 15,8% (13,7% em março).

Por sua vez, o agrupamento de Bens Intermédios aumentou 23,3% (20,5% em março), dando um contributo de 8,7 p.p. para o índice global (7,6 p.p. no mês anterior).

Relativamente à secção das Indústrias Transformadoras, que apresentou uma variação homóloga de 22,7% (20,1% no mês precedente), resultando num contributo de 20,3 p.p. para a variação do índice total.

A secção de Eletricidade, Gás, Vapor, Água Quente e Fria e Ar Frio registou uma forte desaceleração, 56,1 p.p., para uma taxa de crescimento homólogo de 47,8%, originando um contributo de 4,0 p.p.. Excluindo esta secção, a variação dos preços na produção industrial situou-se em 22,4% (19,8% no mês anterior).

Quanto à variação mensal, o INE aponta que “o índice de Preços na Produção Industrial registou uma variação nula em abril (1,5% em igual período de 2021). O agrupamento de Energia, com uma taxa de variação de menos 7,7% (4,2% em abril de 2021 e 20,2% em março 2022) registou o único contributo negativo para variação do índice total, menos 2,1 p.p”.

Fonte: jornaleconomico.pt

Adicionar comentário