Inflação volta a acelerar para 9,3% em setembro

O valor mais alto desde o ano de 1992

30 de setembro de 2022
Inflação volta a acelerar para 9,3% em setembro
A taxa de inflação registada em setembro é a mais elevada em 30 anos. Os produtos energéticos continuam a impulsionar os preços, mas a componente alimentar tem vindo a ganhar mais peso.
Depois de um pequeno abrandamento, a inflação voltou a acelerar em Portugal, atingindo os 9,3% em setembro, de acordo com os dados divulgados pelo INE esta sexta-feira. A taxa é “superior em 0,4 pontos percentuais (p.p.) à observada no mês anterior e a mais elevada desde outubro de 1992”, indica o gabinete de estatísticas.

Olhando para o indicador de inflação subjacente, que exclui produtos alimentares não transformados e energéticos, que são mais voláteis, este terá registado uma variação de 6,9% (6,5% no mês anterior), o valor mais alto desde fevereiro de 1994.

Os produtos energéticos continuam a impulsionar os preços, mas a componente alimentar tem vindo a ganhar mais peso. As estimativas do INE apontam para uma taxa de variação homóloga do índice relativo aos produtos energéticos de 22,2% (taxa inferior em 1,8 p.p. face ao mês precedente), enquanto o índice dos produtos alimentares não transformados subiu 16,9% (15,4% em agosto), taxa mais elevada desde julho de 1990.

Já o Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português, indicador utilizado para a comparação europeia, terá registado uma variação homóloga de 9,8%, depois de ter subido 9,3% no mês passado. Em agosto, a variação do índice harmonizado de preços em Portugal já ficou acima da média da Zona Euro, mas abaixo da média dos países do bloco.

O INE dá ainda conta de que a variação média nos últimos 12 meses terá sido de 6,0% (5,3% no mês anterior). É de salientar que estes dados são provisórios. Os definitivos serão publicados a 13 de outubro.

Fonte: eco.sapo.pt

Adicionar comentário