100 mil «Vales eficiência» contra a pobreza energética

A medida é financiada através do Plano de Recuperação e Eficiência

6 de agosto de 2021
100 mil «Vales eficiência» contra a pobreza energética
Este ano serão entregues os primeiros 20 mil ‘vales eficiência’ para aquecer as casas, totalizando 100 mil até 2025, no valor de 1.300 euros cada. A medida é financiada através do Plano de Recuperação e Eficiência. Famílias podem inscrever-se para vales de obras no final de agosto.
O Ministério do Ambiente e da Ação Climática financia obras de 100 mil famílias contra a pobreza energética revelou nesta sexta-feira, 6 de agosto, que vai financiar na totalidade as obras de 100 mil famílias contra a pobreza energética.

“O Ministério do Ambiente e da Ação Climática, através do Fundo Ambiental, lança hoje o programa ‘vale eficiência’ que vai financiar na totalidade as obras de 100 mil famílias contra a pobreza energética”, avança o ministério liderado por João Mato Fernandes.

Este programa está integrado no Plano de Recuperação e Resiliência e tem uma abertura a dois tempos: a primeira, que começa nesta sexta-feira, 6 de agosto, destina-se aos fornecedores que devem inscrever-se na plataforma do Fundo Ambiental. E a segunda, com início previsto para o final de agosto, diz respeito às candidaturas das famílias.

Os vales entregues às famílias abrangidas serão utilizados para pagar junto dos fornecedores. Estes apresentarão depois os respetivos documentos para pagamento pelo Ministério do Ambiente e da Ação Climática através do Fundo Ambiental.

Segundo o Executivo, este ano serão entregues os primeiros 20 mil ‘vales eficiência’, totalizando 100 mil até 2025, no valor de 1.300 euros cada, acrescidos de IVA. A dotação global chega a um máximo de 162 milhões de euros.

Os ‘vales eficiência’ podem ser utilizados para a compra de fogões elétricos, aquecedores, equipamentos para arrefecer a casa e também instalar painéis solares para a produção de energia para autoconsumo. E também podem para fazer face a despesas de obras que tornem as casas mais eficientes, como troca de portas ou janelas, ou o revestimento de paredes exteriores e de coberturas.

Fonte: jornaleconomico.sapo.pt

Adicionar comentário